Revista da Papelaria

Início » Notícias / Mercado » Criativas e rentáveis

21/06/2017

   

Criativas e rentáveis

Tintas de artesanato alavancam negócios no momento de crise

Com diversas opções de cores, texturas e preços, as tintas de artesanato podem ser um negócio lucrativo para papelarias. Em meio a crise, muitos consumidores estão recorrendo ao artesanato para ganhar uma renda extra. Por isso, a demanda é ampla: artesãos experientes, quem gosta das artes manuais para distração, novos profissionais que procuram alternativas de renda e pessoas que buscam o artesanato como terapia.


Atualmente, há cerca de seis marcas que atendem o mercado: Acrilex, Corfix, Gato Preto, Glitter, Keramik e True Colors. “Acreditamos que investir em artesanato é investir no consumidor, na cultura regional, é assumir um compromisso de dar opção para o cliente que busca o prazer do hobby ou aquele que busca uma maneira de ganhar dinheiro. Ser uma loja que proporciona isso, por si só, é uma vantagem sobre o concorrente local”, afirma Osni Bernardinelli, gerente de marketing da Acrilex.


Segundo Nara Wollmann, gerente de vendas da Corfix, o segmento está em expansão no Brasil e tem um bom retorno. “Hoje, o artesanato ganhou espaço de produto cultural por ser um artigo feito a mão, único e que remete a uma determinada cultura e estilo de vida”, pondera. A empresa possui aproximadamente 30 tipos de tintas para artesanato, distribuídas em 11 linhas, e as mais vendidas são a PVA e a Decorfix (acrílica fosca), devido a uma maior flexibilidade para vários nichos de mercado.


Como recomendação para aumentar a venda do produto, a Acrilex indica o investimento em funcionários especializados, que entendam das tintas artesanais. A empresa oferece apostila para o PDV com dicas sobre as linhas, principais usos e aplicações. Já a Keramik sugere a exposição das tintas em displays organizados, junto com pincéis e acessórios. “Isso faz com que o cliente que procura um produto específico localize no espaço da loja todos os produtos agregados ao seu trabalho e identifique a papelaria como um lugar em que ele poderá se abastecer continuamente”, explica Lara Vohringer, marketing da Keramik.


A Corfix acha imprescindível a separação do setor de artesanato na papelaria. “Para atrair os clientes se faz necessária a demonstração do produto. A Corfix disponibiliza professores que ministram cursos e/ou demonstrações em pontos de venda. A papelaria também deve possuir funcionários treinados para esse tipo de atendimento”, conclui Wollmann, gerente de vendas da empresa.

 

< Anterior | Próxima >