Revista da Papelaria

Início » Notícias / Negócios » Identidade marcante

07/11/2017

   

Identidade marcante

Mercado de carimbos oferece mais personalização para atender às diferentes demandas dos seus clientes

Com tantas opções disponíveis na papelaria, se destacam aqueles produtos que conseguem se adequar ao máximo às demandas do cliente. No caso dos carimbos, esse mercado caminha para uma personalização completa, tanto do texto quanto da caixa externa. A popularização de tecnologias para produção de borrachas abriu caminho para que as papelarias explorassem essa diversidade.


Os maiores consumidores de carimbos continuam sendo do mercado office, como escritórios, profissionais liberais e bancos. Há também os órgãos públicos, mas o volume comprado faz com que prefiram as licitações. Nessa utilização mais tradicional do produto, o uso básico é otimizar a marcação de informações, como datas e assinaturas. Com a maior possibilidade de personalização, o item se torna também um elemento de marketing e de identidade.


“Além dessa praticidade que os carimbos oferecem, eles também podem ser uma ótima estratégia de marketing, personalizando a identidade visual de sua empresa, com marca, logotipo ou informações que se deseje divulgar. A personalização ajuda a propagar a marca, favorecendo sua memorização”, indica Aline Lopes, do departamento de marketing da Carbrink.


Com o avanço de tecnologias de identificação, como as assinaturas digitais e os tokens, o mercado do impresso precisou se reinventar, e a aposta dos carimbos foi na personalização. Nesse processo, passou a oferecer produtos a uma gama de usos maior: professores que os utilizam para conferirem tarefas, fãs de scrapbooks ou mesmo bares que conferem suas comandas.


No mercado papeleiro, há basicamente três modos de se trabalhar com carimbos: personalizando na própria loja a borracha, utilizando máquinas específicas; terceirizando a personalização da borracha; ou optando apenas por carimbos prontos como datadores e numeradores.


“Para as papelarias que fabricam ou terceirizam a borracha de carimbo, a linha de maior saída é a Printer, em especial a Printer 20, com medida de impressão de 14 x 38 mm. No caso das papelarias que vendem apenas produtos prontos, os mais vendidos são os carimbos datador e o conjunto com as palavras ‘pago’ e ‘recebemos’”, comenta Ronaldo Bassi, gerente de marketing da Nova Era, empresa representante da Colop no Brasil.


Marca personalizada


Se em um passado não tão distante apenas grandes quantidades poderiam ser personalizadas, com silk ou tampografia, hoje personalizar apenas um carimbo ficou fácil. Dentre as novidades nesse mercado, um dos destaques é o Colop Printer G7. Além da personalização externa, em diferentes cores, ele permite que o próprio usuário selecione o texto da borracha do carimbo em si.


A praticidade também é uma tônica dos novos produtos. Os carimbos automá- ticos possuem internamente a tinta, permitindo seu uso sem a necessidade das almofadas. Já os da linha flash e pocket têm a praticidade de se acomodarem facilmente no bolso.


Como o maquinário para carimbos tem um custo baixo – é possível encontrar máquinas na faixa de R$ 700,00 a R$ 1.000,00 –, cresce também o segmento mais artesanal dos carimbos, produzidos por pequenos artistas. Esses produtos vão na mesma linha de scrapbooks e outros itens de craft e costumam ser vendidos em pequenas lojas virtuais. Papelarias que têm um trabalho forte nesse setor podem desenvolver parcerias ou até uma linha própria – muitos são colados em pequenos cubos de madeira, apresentando uma montagem de baixa complexidade. Para esse segmento, almofadas de tinta em diferentes cores são essenciais.


Segundo Ronaldo Bassi, para as papelarias que fabricam os carimbos, a margem de lucro pode chegar a 300%; já para as papelarias que terceirizam e que vendem apenas os carimbos prontos, essa margem cai para cerca de 50% a 100%, dependendo do produto.


“A fabricação de carimbos é a escolha certa para quem busca baixo investimento, pois exige equipamentos simples e é um serviço com muita procura em qualquer região. Estima-se que o retorno do capital inicial investido seja obtido em menos de 3 meses. O custo médio de um carimbo é de R$ 6,00, podendo ser vendido por até R$ 25,00. Outro ponto positivo é que esse modelo não obedece datas comemorativas, sendo uma constante o ano todo”, explica Aline Lopes, da Carbrink.


 

 

< Anterior | Próxima >