Revista da Papelaria

Início » Notícias / Mercado » De janeiro a janeiro...

27/10/2017

   

De janeiro a janeiro...

Com diferentes traçados e utilidades, os pincéis são instrumentos indispensáveis nas seções de artesanato das papelarias

Presente no dia a dia de artistas, artesãos e estudantes, os pincéis têm origem em um passado distante e se mantêm firmes na atualidade, com alto poder de negócios para papelarias. Na Casa do Pincel, em Manaus (AM), os pincéis em formato redondo pituá para pintura com stencil são os mais vendidos. A loja vende também pincéis para as principais técnicas de pintura: tecido, aquarela, pintura country, artesanato em geral e pintura campestre alemã Bauernmalerei. Segundo o gerente comercial da empresa, Fabio Santana, quem mais procura a loja, são artesãos e pessoas que fazem pintura por hobby.


Dedicada ao ramo de papelaria, pintura e artesanato, informática, entre outros, a Caçula trabalha com a venda de pincéis para artistas plásticos, restauradores, artesãos e estudantes. Para cada público diferente, há um setor específico organizado em Papelaria, Artesanato e Desenho e Pintura. Entre tantas técnicas diferenciadas, os modelos mais procurados são aqueles para pintura em tecido. Para manter a fidelidade do público e o consumo em alta, a Caçula oferece cursos regulares de pintura em tecido e madeira; pintura artística em óleo sobre tela etc. A agenda é divulgada no site e nas redes sociais da rede. as principais técnicas de pintura: tecido, aquarela, pintura country, artesanato em geral e pintura campestre alemã Bauernmalerei. Segundo o gerente comercial da empresa, Fabio Santana, quem mais procura a loja, são artesãos e pessoas que fazem pintura por hobby.


A Condor Pincéis foi a primeira empresa no Brasil a lançar novos formatos de pincéis, o filamento sintético e a literatura técnica sobre o uso e a manutenção desse produto. Atualmente, possui 13 linhas, que atendem a atividades profissionais e escolares. Uma das apostas da marca é a Linha Confort, que, conforme o nome sugere, eles foram projetados com o peso ideal para garantir equilíbrio e conforto. Com isso, o artista ganha mais agilidade nas pinceladas.


Também preocupada com o conforto dos consumidores, a Faber-Castell lançou o conjunto de pincéis Soft Touch, que traz quatro tipos diferentes: nº 12, nº 10, nº 6 e nº 2, em uma única embalagem. Eles possuem área de pega macia e antideslizante para facilitar o manuseio de crianças em idade escolar, além de pessoas interessadas em arte, sendo ideais para todos os tipos de pintura. Suas cerdas são macias, mais resistentes e suaves, o que ajuda na pintura dos desenhos.


“Esteticamente, o produto também é muito atraente, pois coordena cores entre as cerdas, o corpo e a área de pega. Por ser oferecido na versão cartela, o pincel Soft Touch pode ser exposto tanto em seu espaço natural quanto em gancheiras para exposição cruzada com categorias de uso complementar como guache e lápis aquarelável”, explica Eduardo Ruschel, diretor de marketing e inovação da Faber.


Conhecidos do público, os pincéis da Tigre são um dos mais populares do mercado. Possuem 11 linhas para atividades artísticas e escolares, com cerdas naturais ou sintéticas, cada uma delas adequada a determinado tipo de superfície e atividade. A cerda natural é indicada para pintura e cobertura com volume, em superfícies como tela, painel, mural, tecido, parede, gesso, cerâmica e madeira; já a cerda sintética bege, firme e resistente é indicada para superfícies rugosas como tecidos, telas e emborrachados. A marca também tem uma linha escolar: a Escolar Pônei, na qual o pincel é macio e poroso, indicado para pintura com guache e multiuso nos trabalhos escolares.


Igualmente, os pincéis da Molin são voltados para o público escolar. Os modelos são no formato Redondo (vendido com duas unidades, os números 10 e 12, e três unidades, os números 4, 6 e 8), e o Chato (com duas unidades, nos números 8 e 12). Pensando no público infantojuvenil, a empresa criou um estojo com tinta Aquarela em 12 cores vivas, do tipo pastilha, solúveis em água, e pincel.


Já a Pincéis Castelo contém linhas que vão de tradicionais até as de design mais moderno. São os casos, respectivamente, da Série Amarela para pintura escolar, artística, artesanal, de formato Chato, Redondo e Leque; e da Série Creme para pintura decorativa feita com tinta óleo, acrílica e PVA, com cabo creme curto, de formatos diversos, adequados a atividades variadas, alguns deles são: Chato, Filbert Língua de Gato, Chanfrado Angular e Chato efeito Xadrez.

 

< Anterior | Próxima >