CARREGANDO

Escreva para pesquisar

Volta às Aulas

Cartão Material Escolar com resultados positivos

Compartilhe
Papelaria Cartão Material Escolar com resultados positivos

Iniciativa apresentou otimismo em todo país

O Cartão Material Escolar (CME) que oferece, via governos, um crédito direto aos estudantes da rede pública para aquisição dos produtos necessários para cada ano letivo, apresentou ótimos resultados nos estados de Maranhão, Minas Gerais e Distrito Federal para este volta às aulas.

A compra dos itens pode ser realizada nas papelarias cadastradas nas associações comerciais, sindicatos do comércio varejista ou clubes de diretores lojistas dos municípios. Somente no Maranhão, cerca de 217 cidades já se beneficiam do CME.

Para a temporada escolar 2017, foram cadastrados mais de 1.400 estabelecimentos comerciais, praticamente dobrando o número do ano passado, quando participaram pouco mais de 800 estabelecimentos. Além disso, o estado aprimorou algumas fragilidades criando, por exemplo, um aplicativo para facilitar o acesso da população ao sistema.

O cartão tem o objetivo de conferir poder de escolha ao aluno e fomentar a economia local, gerando empregos e movimentando o mercado varejista. O benefício começou em 2009 em cidade do estado de São Paulo e passou por diversas adaptações até chegar ao CME.

Segundo Ricardo Carrijo, secretário-geral da Associação Brasileira de Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares (ABFIAE), mais de 1.800.000 alunos da rede pública, ou seja, mais de 3% já receberam o cartão. “Estimamos que a iniciativa já movimentou para o mercado de papelaria mais de 100 milhões de reais, e o resultado deve crescer ainda mais devido ao interesse que temos notado de várias prefeituras, como Sorocaba/SP, Dourados/MS, Cascavel/PR, Petrópolis/RJ e Uberlândia/MG”, afirma.

A maior dificuldade atualmente para ampliação do benefício, explica Carrijo, é a mudança de gestão das prefeituras. “Ainda não há uma padronização do cartão nos municípios. Conforme mudam os prefeitos, temos de começar um novo convencimento de que a alternativa do CME é a mais inteligente e segura na distribuição de material escolar. Entendemos que o número de usuários já é muito bom e expressivo dado as adversidades que enfrentamos, mas vamos continuar trabalhando firme em 2017 para ampliar essa boa ideia que favorece a toda a cadeia produtiva do setor de material escolar”, avalia.

Além da ABFIAE, os projetos de Cartão Material Escolar contam com o apoio do Sindicato das Papelarias de São Paulo (Simpa), Associação dos Distribuidores de Material de Papelaria (Adispa) e associações comerciais.

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *