CARREGANDO

Escreva para pesquisar

Volta às Aulas

Volta às aulas com solidez

Compartilhe

Marca de cadernos reúne principais atributos para enfrentar próxima temporada escolar

Elementos do universo geek e licenças de sucesso – como Harry Porter, Stars Wars e Frozen II – já são esperados nos cadernos Jandaia. Em 2020 não será diferente. A empresa preparou dezenas de capas que exploram temas cobiçados pelos estudantes. A coleção também conta com uma linha variada de cadernos com marcas próprias capazes de atender com qualidade a diferentes públicos.

“A expectativa para a próxima temporada escolar é muito boa. Nos últimos anos, a conjuntura econômica e os sistemas de ensino apostilados interferiram no setor. No entanto, estamos vivendo, neste momento, um retorno à nossa essência”, analisa Ivan Bignardi, diretor de marketing da Jandaia. Ele referiu-se ao movimento de valorização da escrita e do registro da memória, que acaba impulsionando os suportes, como o caderno.

A visão positiva do executivo também é justificada pela estrutura industrial por trás do caderno Jandaia. A marca é parte das Indústrias Bignardi, empresa fundada em 1956, na rua Jandaia, no centro de São Paulo. Na época, era uma gráfica que produzia impressos gráficos, cadernos e listas telefônicas. Desde então, a família ampliou o negócio com a aquisição de uma fábrica de papel e a criação de um atacado.

Fábrica de papel própria e centro de distribuição estratégico são alguns dos diferenciais competitivos que possibilitam as Indústrias Bignardi oferecerem estrutura e agilidade no fornecimento dos cadernos Jandaia para todo o país e exterior.

As diversificadas atuações das empresas do grupo garantem vantagens competitivas reais. “Temos uma fábrica de papel, somos uma empresa verticalizada, ou seja, a matéria-prima é nossa, e isso nos permite ter uma produção flexível e criativa”, explica Ivan. O diretor de marketing exemplifica o uso diferenciado do papel off-white em determinados cadernos. “Isso cria uma identificação, podemos criar papéis especiais para nossos produtos”, resume.

Com parque fabril em Caieiras, região metropolitana da capital paulista, e novo centro de distribuição em Itupeva, com 15 mil m2, a Jandaia tem capacidade de conversão de 34 mil toneladas de papel em caderno. “Somos a maior empresa de cadernos do Brasil, e 25% da produção é destinada à exportação”, afirma Ivan Bignardi.

A solidez da Jandaia também pode ser percebida tanto pela diversificada linha de produtos, que inclui planners, gifts, blocos de desenho, bobinas e formulários contínuos, como pela atuação em logística, que a faz ser a maior distribuidora de papel Chambril (linha editorial) e Chamex.

Sobre a recente movimentação no setor de cadernos, com a compra da Foroni pela Tilibra, Ivan Bignardi avalia que não muda o cenário do mercado, já que ele permanecerá do mesmo tamanho. “Não vai prejudicar, mas o trade pode entender que vai ter uma opção a menos de negociação”, avalia.