CARREGANDO

Escreva para pesquisar

Escolar Sem categoria

Marcando e comunicando

Compartilhe

Com a quebra da soberania do amarelo, os marca-textos ganham um código próprio de cores e seguem destacando conteúdos e ajudando nos estudos

Quando a caneta marca-texto surgiu, era apenas amarelo fluorescente e tinha como único objetivo destacar frases e parágrafos importantes em textos ou livros. Por muito tempo seguiu assim. Com o passar dos anos, novas cores de marca-texto surgiram. O neon veio com tudo e surgiram os marca-textos em rosa, azul, laranja e verde.

A inquietude do mercado por novidades tratou de trazer também para os marca-textos os tons pastel. “A procura cada vez maior por itens customizados e diferentes, que pudessem emprestar originalidade e mais personalidade aos usuários, com certeza impactou diretamente o movimento da indústria ao criar opções de cores”, adianta Marcelo Vecchi, gerente de comunicação externa da Faber-Castell.

Mas por que tudo começou com o amarelo? As cores ao nosso redor influenciam diretamente nosso comportamento e nossa reação a todos os estímulos que chegam até nós. O amarelo fluorescente tem um significado considerável para sua função como marca-texto. A cor é diretamente associada à luz, estímulos, dinamismo e otimismo, incentivando os estudos e a criatividade.

Segundo Solange Gelles, pedagoga e cromoterapeuta, a cor amarela estimula “querer” o que é oferecido. Assim, expandindo o campo mental e facilitando o aprendizado, essa cor atua na área pré-frontal do cérebro. “Ao marcar o texto com o amarelo, não só o destacamos como também ‘apreendemos’ a informação em destaque com maior facilidade. Não importa se o destaque é mais claro ou mais escuro, os estímulos acontecem da mesma maneira”, explica a profissional.

Em relação ao aprendizado, as cores têm o poder de facilitar ou torná-lo cansativo e tedioso. Segundo Vanessa Moreno, especialista em marketing da Summit, que fornece a marca TRIS, a estratégia de destacar os trechos nos estudos tem se revelado uma ótima – e colorida – maneira para ajudar o cérebro a memorizar temas importantes, resultando em uma procura cada vez maior pelos marca-textos.

Código das cores

Sabrina Araújo está cursando o segundo período do curso de engenharia mecatrônica e não abre mão do uso do marca-texto na sua rotina de estudos. Ela até criou um código de cores (color code) próprio para categorizar as informações ou assuntos. “Faço uso do color code tanto para matérias quanto para leitura. Isso me ajuda bastante não só na organização, mas também no aprendizado e na otimização do tempo”, explica a estudante. Ela afirma que depois que começou a usar esse tipo de método, seu rendimento escolar melhorou muito. “Exploro minha memória visual”, constata a estudante.

Com mais de 14 mil seguidores em seu perfil no Instagram (@oresumao), Sabrina posta com frequência essa e muitas outras dicas sobre estudo. “No momento em que for escolher a cor ideal, é importante conhecer algumas propriedades de cada uma delas. Por exemplo: verde é a cor que estimula a exatidão, boa memória e firmeza de opinião. Essa cor incentiva a buscar mais do que está sendo oferecido, pois é a cor do crescimento e abundância. Utilizando um marcador de texto colorido, o aluno interagirá com a cor e seus estímulos”, detalha a cromoterapeuta Solange. A profissional é responsável pelo site Pedagogia das Cores, onde é possível encontrar artigos, testes e curiosidades na área da cromoterapia.

Variadas opções para o ponto de venda

BIC tem um portfólio completo de Marcadores de Texto, oferecendo desde ponta flexível, até pontas chanfradas, que permite uma marcação tanto com traço fino quanto traço grosso.

A BRW lançou a linha Soul, com seis cores em tons pastel, ponta chanfrada e à base de água, com objetivo de ajudar no desempenho da garotada, seja na escola ou na faculdade.

Quem está estreando no mercado de marca-texto é a Nox Brasil, que traz como lançamento o marca-texto disponível em quatro cores neon (azul, rosa, laranja e amarela).

Segundo a marca, o Stabilo Boss foi o primeiro marca-texto do mundo. Além de ser pioneira na fabricação e comercialização do produto, foi a marca que criou a linha de marca-textos em tons pastel – que surgiu da necessidade do consumidor de fazer mapas mentais mais elaborados, explica Ricardo Ferreira, gerente de marketing.

Apesar da Brasinks manter apenas o amarelo fluorescente em seu portfólio de marca-textos, o seu diferencial é ser recarregável. Eles também são usados por cartazistas para destacar textos com letras grandes nos anúncios, como ofertas em supermercados”, completa Deyse Ribeiro, do marketing da Brasinks.

A TRIS oferece modelos em cores pastel e neon. Seus marca-textos têm o corpo que pemite ver o nível de tinta.

Pilot chega com o lançamento do marca-texto apagável em tons neon e pastel. “O lettering vem crescendo, e nosso marca-texto Frixion Light oferece auxílio para quem está começando nessa arte por ser apagável, explica Arthur Santana, do setor de marketing da Pilot.

A Faber-Castell oferece um estojo com seis cores diferentes em tons pastel. “Os marca-textos são ferramentas de destaque para estudos, anotações, leitura, entre outros. Por isso, são sempre tons mais vivos e fortes que facilmente captarão a atenção do estudante para os itens selecionados”, explica o gerente de comunicação, Marcelo Vecchi.