CARREGANDO

Escreva para pesquisar

Escolar

Trinca escolar

Compartilhe
Papelaria Trinca escolar

Lápis, borracha e apontador: básicos e fundamentais na vida dos estudantes. A seleção a seguir joga o holofote nesse trio sinônimo da vida escolar

Na ponta do grafite

Em tempos de smartphone e vida on-line, o lápis, a borracha e o apontador continuam sendo os maiores parceiros do estudante em praticamente toda a vida escolar. Afinal, é com o lápis que as crianças de todo o mundo aprendem a escrever. Item indispensável para todos os tipos de anotações, ele é um produto de longa durabilidade, que não é afetado por variações climáticas e escreve até debaixo d’água e no espaço. Que outro instrumento de escrita é assim tão versátil? O Brasil é um dos maiores produtores de lápis do mundo, com destaque para a Faber-Castell, que produz 2 bilhões de unidades por ano. Segundo a empresa, com esse total seria possível dar seis voltas ao redor do planeta Terra.

Elementos tropicais, de verão e estrelares, como coqueiros, flamingos, unicórnios e arco-íris, são tendências fortes e estão presentes nos modelos de lápis oferecidos pela Tris.

Lápis grafite da Tris

A mais recente linha de lápis da Faber-Castell é o EcoLápis SuperSoft Black. Com madeira na cor preta e acabamento em cinza, ele tem mina grafite supermacia, que permite maior desempenho ao escrever e desenhar. Priorizando alta performance e conforto. Os públicos infantil e adolescente podem contar também com os EcoLápis da marca com as estampas criativas das linhas Monster e Let´s Go.

Lápis grafite da Faber-Castell

O Evolution Hexagonal com borracha é o famoso lápis verdinho da Bic. Ele tem grafite ultrarresistente e maior durabilidade. A linha Evolution Neon tem seu corpo hexagonal com cores neon, portanto se se destacam no meio do estojo, no escuro e na sala de aula.

Lápis grafite da Bic

A Tilibra está com novas opções na categoria de lápis: a linha Neon, com suas cores vibrantes; a Académie, com ou sem poás; a sofisticada West Village; e também as novas estampas da descolada Capricho e da delicada Jolie.

Lápis grafite da Tilibra

A Leonora usa como estratégia oferecer seus lápis em kits com dois lápis grafite HB, um apontador e uma borracha. Os temas são as tendências do momento: unicórnios, neon, gold, esportes, poá e viagens.

Estojo da Leonora

O carro-chefe da Waleu são os kits com lápis grafite número HB2 com apontador e lápis nas cores amarela, laranja, verde e vermelha em tom neon. A empresa oferece também o modelo com o corpo em preto em embalagens com 144 unidades.

Estojo da Waleu

Erro como parte do acerto

Por que a borracha apaga o lápis? A escrita se dá graças ao depósito de grafite do lápis sobre o papel. A borracha quebra as moléculas que deram origem a essa ligação, pois o grafite gruda mais fácil na borracha. Presente na vida escolar, em especial quando se aprende a escrever, a borracha tem um papel importante na educação. “Costumamos dizer que erro é aquilo que a gente faz antes de acertar. A gente tenta, refaz, recria e recomeça o tempo todo”, afirma Claudia Regert, da área de comunicação da Mercur. A empresa tem 85 anos e, provavelmente, foi a primeira a produzir borracha de apagar no Brasil. Isso aconteceu em 1930, quando os fundadores da Mercur trouxeram da Alemanha uma fábrica desativada de borracha.

A linha de borrachas da Bic está organizada entre o modelo Bic Eraser, na cor branca e capa azul, que oferece não só excelente desempenho ao apagar como também segurança para as crianças. E a Bic Eraser Neon, disponível nas cores rosa, amarela, roxa, verde, azul e laranja.

Papelaria Bic
Borracha da Papelaria Bic

As borrachas da Tilibra tiveram ampliação para o volta às aulas 2019. O novo modelo Neon com capa plástica Académie vem em cores sortidas. Além disso, a linha possui outros modelos, são eles: Académie Pequena e Grande, ambas nas cores preta, branca ou cores sortidas; Académie Branca Big; borracha preta com capa plástica Académie média. Todos os modelos de borracha Tilibra são livres de ftalato, substância que pode causar diversos problemas à saúde.

Borracha da Tilibra

A linha de borracha da Waleu inclui dois modelos: borracha escolar com capa (caixa com 24 unidades) e borracha escolar ponteira (caixa com 48 unidades).

Borrachas da Waleu

O consumidor pode contar com a Faber-Castell para borrachas de design diferenciado. Além dos modelos clássicos, com capas de plásticos e cores diversas, há a linha Monster, com estampas exclusivas de monstrinhos e de quebra-cabeça, e a Let’s Go com quatro estampas próprias colecionáveis para quem ama viajar.

Borrachas da Faber-Castell

A Mercur é tradicional fornecedora de borracha de apagar. Ao todo, são 26 modelos que atendem às necessidades específicas de diversas áreas. Na educação, nas artes, no trabalho de arquitetos, engenheiros e designers ou no dia a dia de quem possui dificuldades de preensão. A borracha Art Visual, por exemplo, tem formato de gota e proporciona melhor pega, e as extremidades garantem precisão. Os modelos 0, 20, 40 e 60 da Record são produzidos em borracha natural, com látex das seringueiras. A linha Studio apaga por absorção e não deixa resíduos. O Borrachão de Apagar é mais pesado do que a maioria, auxiliando no desempenho da tarefa, pois estabiliza o movimento da mão. Portanto ótimo para pessoas que possuem alguma dificuldade motora. Possui o nome do produto em português, Libras e escrita de sinais impresso na borracha.

Borrachas da Mercur

Segurança para afiar o lápis

Antes do surgimento dos apontadores, os lápis eram afiados com facas ou navalhas. A tarefa de apontar lápis demorou a ficar mais segura! O primeiro apontador só foi patenteado em 1828, na França. Ao longo do tempo, diversas mudanças no formato, no tamanho e nos materiais utilizados na fabricação de apontadores fizeram com que o objeto se tornasse cada vez mais popular e acessível. Ele é indispensável na rotina escolar e no dia a dia de escritórios e profissionais como arquitetos, designers e desenhistas. O desempenho do apontador se deve ao uso da lâmina de aço temperado, com fio de corte de excelência, e parafusos de segurança que impedem a retirada da lâmina, garantindo maior tranquilidade aos consumidores, principalmente crianças.

A Tris oferece um mix com 30 modelos diferentes, com destaque para os lançamentos Coração e o SU266, no formato triangular; este tem dois furos para lápis normal e jumbo.

Apontadores da Tris

A BRW oferece modelos com e sem depósito e investe em cores vivas como estratégia para chamar atenção do consumidor no ponto de venda.

Apontadores da BRW

Os apontadores Molin possuem lâminas de aço inox temperado, que facilita o apontamento e garante longa durabilidade, além do design divertido.

Apontadores da Molin

A linha Grip da Faber-Castell sempre se destaca pelo design exclusivo e depósito maior que o padrão, e, agora, por suas novas cores. Os modelos MiniBox têm tampa flip-top, que evita a saída de resíduos, e tamanho compacto. O tom pastel, que continua em alta, também pode ser encontrado nos produtos da marca.

Apontadores da Faber-Castell

A Leonora disponibiliza 16 modelos de apontadores e o objeto é um item de crescimento no mix da marca, que atingiu, em 2018, a venda de 600 mil caixas do produto.

Apontadores da Leonora

O destaque entre os apontadores da Tilibra é o modelo AP11, que tem lâmina em aço carbono, cores sortidas com depósito e um furo. A linha West Village tem apontadores com depósito e dois furos e um visual sofisticado e moderno.

Apontadores da Tilibra

Cross-selling

A estratégia de venda que consiste na sugestão de compra de produtos complementares deve ser adotada na disposição desses itens na papelaria. Douglas Takahashi, da Tilibra, indica reunir na mesma área todos os produtos que compõem essa linha: lápis, borrachas, apontadores, cadernos e estojos. A posição é compartilhada por Bruno Ribas, responsável pelo marketing da BRW. “Se o consumidor vai comprar um lápis ou lápis de cor, vale incentivá-lo a levar um apontador ou borracha. Além disso, os produtos estão presentes em listas de material escolar de estudantes de diversas faixas etárias. Por isso apresentam um alto giro e necessidade de reposição. Como o público que consome esse tipo de material é, em sua maioria, crianças e adolescentes, sugiro que a exposição seja a mais colorida possível”.

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *